Páginas

19.7.09

dois

Hoje depois de muito tempo, voltei a me sentir viva.

Às 20:20 joguei no universo a frase:

“quero meu coração dançando um pouco.” de clarah averbuck

E então às 1:55 da manhã de domingo meu coração dançou, pulou, fez uma festa.

Com uma trilha sonora que não poderia ser mais apropriada tudo começou.

“Como dois estranhos,

Cada um na sua estrada,

Nos deparamos, numa esquina, num lugar comum.” dois - tiê

Enquanto Tiê ecoava aos fundos, eu recebi uma mensagem.

Daquelas em que quando você menos espera lhe tira o chão,

É! Ele lembrou de mim, enquanto ouvia a mesma música, no mesmo momento.

Ele lembrou de mim.

Às 1:55 da manhã de domingo ele lembrou de mim.

Não importa aonde ele estava, com quem estava ou que estava fazendo,

Naquele momento eu estava em sua mente.

“O certo e o incerto, a gente vai saber.” dois - tiê

E eu fiquei besta.

Como se ele tivesse aprecido em minha porta com um som em suas mãos,

Tocando aquela música.

A música que fez ele lembrar de mim, às 1:55 da manhã de domingo.

E eu virei uma menininha apaixonada.

Não importa que eu não o amo, ou amei.

Não importa que ele esta namorando.

O que importa é que meu coração bateu de um novo jeito.

Um jeito que ele tinha esquecido de bater.

Eu sorri.

E tudo por causa de uma mensagem besta.

Completamente sem sentido, mas com todo sentimento do mundo.

E se eu tivesse ido dormir neste momento teria os melhores sonhos.

Mas não era isso que o universo queria pra mim.

Eu pedi pro meu coração dançar.

E a mensagem era só a primeira música da noite.

Era a música do esquenta.

Que você coloca para ter uma boa festa.

A minha música, a musica da noite ainda estava pra vir.

E veio.

Quando eu menos esperava.

Ela veio.

Dessa vez através de Cat Power.

Tá não teve uma música em especial.

Mas foi a Cat Power que nos apresentou.

Enquanto eu reclamava pelo show não ido.

Ele reclamava pelo show não ido também.

E foi assim.

E após uma pequena visita.

Tudo fez sentido.

Fazemos o mesmo curso.

Gostamos das mesmas músicas.

E amamos séries, fotografia e cinema.

Foi muitas semelhanças, em uma só pessoa.

Foi como olhar em um espelho maluco.

Aquele espelho que lhe mostra o futuro.

E meu coração de novo dançou.

Mas dessa vez o ritmo era diferente.

E fazia mais sentido, do que a primeira dança.

Essa era uma dança para a noite toda.

Só tinham dois problemas.

Primeiro e mais importante:

Ele não sabe quem eu sou.

Eu fiquei com medo.

De novo.

Eu fiquei com medo.

E me escondi.

Mal escondida, para ser achada primeiro.

Mas eu me escondi.

E segundo:

Ele mora a 2.126,1 km de mim.

Sim. Além de covarde,

A minha localização não ajudou em nada.

Então aqui estou eu.

Agora com o coração em ritmo normal.

Sonhando acordada, com uma pessoa quem não sabe quem eu sou.

Pelo menos não ainda.

Pois tenho amigos mais corajosos que eu.

Que estão mostrando onde estou escondida.

Então a sorte mais uma vez foi lançada ao universo.

Basta saber o que ele irá fazer com essa informação.

Mas mesmo assim,

Obrigada pelo dia de hoje.

“It's not something I would recommend, but it is one way to live” lua – bright eyes

2 comentários:

teleférico amarelo da cor azul do ocre verde mar. disse...

Sabia que eu gosto de ler coisas assim... Sim, coisas do coração.
E coisas do acaso e desse mundo de Deus dará que a gente pensa que num dá, mas um dia dá, nem que seja umas poucas palavras em forma de mensagem para mudar o dia.
E eu me lembro daquela música de Adriana Calcanhoto: Você tem 30 minutos para mudar a minha vida!

E deixa o acaso te fazer dançar, sorrir e andar por aí... Deixa!

;)~ viva o acaso e suas mensagens românticas!

Egideilson Santana disse...

=)