Páginas

18.4.10

apenas o fim

Assistindo "Apenas o Fim" me fez lembrar de nós dois.
Não que tenhamos muita história para ser contada.
Mas o filme me fez lembrar daquela tarde e de uma outra noite, aonde tudo que era importante e precisava ser dito, ficou para depois.
Não parecia que aquela tarde/noite ia acabar.
Parecia que tínhamos todo o tempo do mundo, quando na verdade só tínhamos algumas horas, alguns minutos.
Certas coisas importantes às vezes saiam das nossas bocas, mas o olhar era quem conduzia toda e qualquer informação mais importante do que: "porque todos os integrantes do restart tinham calças mais apertadas que as minhas".
Os minutos passaram, as horas passaram... Mas o sentimento não, ele ficou. O cheiro ficou. A lembrança ficou.
Só você, fisicamente, se foi.
E eu também precisei uma hora ir embora.

Não falamos por medo. Não nos beijamos por medo.
O medo tomou conta e tudo passou.
Menos a saudade.
Você, fisicamente, se foi.
Mas ficou e está aqui, ainda comigo, dentro de mim.

É estranho comparar algo que nem teve inicio com algo que acabou, é até fora de lógica.
Mas em minha mente maluca faz sentido.
Se algum dia algo tiver que começar e por algum motivo chegue ao final, seria desse jeito... Completamente igual.
Passaríamos o dia como se nada estivesse para acontecer ou acabar. Eu sei. é estranho pensar no final sem ter o inicio.
Mas prefiro pensar que vamos pelo menos tentar um inicio um dia.
E já que temos a certeza de um fim, que possamos um dia fazer um inicio.

Um comentário:

Gelma disse...

Meu Deus, quanto mais eu leio, mas bestificada eu fico.