Páginas

18.8.09

Diário de um ônibus em movimento 0.0

Eu não sei porque eu nunca me senti protagonista em minha própria vida.
Eu raramente tomei decisões porque ia me fazer melhor.
Eu sempre tomei decisões baseadas nas outras pessoas.
A ultima decisão que eu tomei por mim hoje faz um ano.
E a outra a que fez a maior diferença em minha vida foi sair de casa e me mudar para Aracaju e isso jah vai fazer 2 anos. UAU!
Faz tempo que eu só tenho assistido a minha vida passar.
É estranho você parar e pensar que mesmo tudo estando diferente algumas coisas continuam na mesma.
Eu sei que mereco mais.
Eu sei que sou melhor que isso.
Mas de alguma forma continuo acomodada.
Mesmo agora que sou só eu. Que sem mim eu não como, eu não me movo, sem mim nada muda.
Mesmo tudo dependendo de mim, eu continuo em segundo lugar em minha vida.
Minhas decisões não são minhas, não são pensadas em MEU melhor pelo menos.
Sempre tem algo mais importante do que o que eu quero e eu não consigo dizer NÃO.

I'm not living my life and that relly sucks.

E o pior de tudo é saber disso e não fazer nada para mudar.
Porque eu não consigo me colocar em primeiro lugar?

Preciso parar e começar a pensar em mim.
Hoje minha vida começa.
Mais um ano se passou.
E tá na hora de mudar.
E nada melhor como o dia de hoje para começar essa mudança.

Enquanto eu acabava de passar esse texto pro Notes essa frase surge "There's no way to grow that don't hurt" do Iron & Wine.
E eu to preparada pra dor, se ela for realmente necessária. Eu estou com medo, mas vou crescer.


Posted with LifeCast


2 comentários:

Hebert disse...

saudade guria...
vê se volta pra mim
sinto tua falta de mais
sem tu, minha vida é muito mais chata.
como pode sumir desse jeito hein?
jamais faça isso comigo outra vez!

Egideilson Santana disse...

Demorei de comentar porque não sabia bem o que dizer. Na verdade eu ainda não sei direito, mas vir cobrar e vou esperar estas mudanças. Mude se é isso que você sente que deve fazer, mude como se amanhã fosse o último dia para isso. Sei lá, talvez viver só valha a pena se a gente não tiver medo das oportunidades, possibilidades, riscos, da vida.
Acho que eu acredito em algo do tipo, hehe.

Beijos
E vê se não some.