Páginas

20.10.09

Addison way of life...

Ontem assistindo a um seriado eu me identifiquei com um personagem, algo que não acontece há muito tempo. Foi uma historia real. Eu me vi naquela situação. Eu sabia que aquilo que ela estava sentindo era real, não era mais uma história inventada. Era real. Eu sabia. Eu estava vivendo aquilo. Eu conseguia sentir as suas duvidas, suas angustias, eu conseguia ler os pensamentos dela. Eu sentia sua insegurança sobre o assunto e também percebia aqueles olhares. Aonde tudo parece loucura vendo de fora, mas só quem passou o que a gente (sim, eu me sinto intima dela) está passando sabe como é difícil. Pude me ver nos olhos dela e analisar a situação pelo lado de fora. E então tentei programar meus próximos passos. E não consegui. Terminei o episodio com a mesma cara que ela (tirando aquele bico de choro) se perguntando “O que eu faço agora?” “Será que já é tarde demais?”. Não consegui programar nada, a não ser a TV. Enquanto os roteiristas descobrem o que fazer com a situação dela, eu fico aqui escrevendo a minha própria historia, fazendo o meu personagem ser o mais coerente possível, lidando a situação do mesmo jeito de sempre, só que com um pouco mais de cautela, tentando analisar corretamente o próximo passo. Para não me machucar no meio do caminho e não levar outras pessoas junto comigo.

“mas pelo menos você está aberta, pelo menos você tentou, sentiu, você... está viva. Tem sentimentos.”

2 comentários:

Rafael disse...

É foda que quando eu quero comentar algo, eu sempre penso em falar algo inteligente, ou falar algo que não seja clichê e falar algo que complemente o texto.

ai eu penso... penso... e desisto!

Só o que posso dizer é:
Agora tenho que assistir essa série! Existe uma boa chance de eu me identificar com ela tbm, agora que "dúvida" é o meu segundo nome.

Egideilson Santana disse...

"Mas sofrer um pouco faz bem.
Porque ai você luta para sair dessa
E ai tudo vale mais a pena."

Não se acomode.